Balé nos Estados Unidos: inovação do século XX

Conhecer nosso passado é essencial para construirmos um presente melhor. Na dança é muito importante estudarmos quem veio antes de nós para nos inspirar e para criarmos novas coreografias. Por isso, na série #PassosHistóricos contamos fatos curiosos sobre o mundo da dança!


A escola de balé nos Estados Unidos é uma das mais jovens do mundo, mas sua influência e importância não deixam a desejar das outras grandes escolas como a russa e a francesa.

Foi durante o século XX que os Estados Unidos entrou no radar das grandes escolas de balé do mundo.

Marta Graham, gostava de trabalhar próximo ao chão em uma época que flutuar no palco era a moda

Essa história começou em 1926, quando Marta Graham fundou a  mais antiga companhia de dança dos Estados Unidos. Com suas ideias inovadoras, a bailarina foi responsável por trazer o balé do país para o século XX.

Influência dos Ballets Russes

Mas o balé nos Estados Unidos foi muito influenciado também pelo Ballets Russes, pois após a Primeira Guerra Mundial e a Revolução Russa, muitos bailarinos russos mudaram para o país norte-americano

Michel Fokine, um dos membros da Ballets Russes, ajudou a criar uma companhia de balé em Nova Iorque na década de 1920. Outro participante da Ballets Russes a fundar sua própria companhia em solo nova-iorquino foi George Balanchine.

Em 1934, o empresário Linconl Kirstein convidou Balanchine para dar o pontapé inicial naquela que se transformaria na Escola Americana de Ballet de Nova Iorque.

George Balanchine em ensaio no Linconl Center

Após a Segunda Guerra Mundial, a dupla Balanchine – Kirstein formou um novo grupo em 1946. O Ballet Society se tornou o New York City Ballet, uma das mais importantes companhias de dança do mundo na atualidade.

A partir daí, os Estados Unidos só aumentaram sua influência no balé mundial, criando companhias com seu estilo próprio e atraindo talentos de todo o mundo para praticar balé em seus escolas.

Hoje não há dúvidas da importância e contribuição dos balé norte-americano para a dança mundial.


E aí? Gostou de saber mais sobre a história do balé nos Estados Unidos?

Em breve a gente volta com mais história do balé em outros países!

Fique ligado e até mais!


Para saber mais do nosso dia a dia e sobre a preparação para as próximas competições, siga a gente no Facebook e no Instagram

About the author: Equipe Sigma

Leave a Reply

Your email address will not be published.